Home / 5G / Qual é o requisito de latência em 5G?

Qual é o requisito de latência em 5G?

A latência no contexto do 5G refere-se ao atraso de tempo entre o início de uma transmissão de dados e a recepção da resposta correspondente. É uma métrica crítica de desempenho em sistemas de comunicação sem fio, e as redes 5G visam reduzir significativamente a latência em comparação com as gerações anteriores, permitindo uma ampla gama de aplicações com requisitos rigorosos em tempo real. Aqui estão aspectos detalhados dos requisitos de latência em 5G:

  1. Definição de latência:
    • Latência é o atraso que ocorre quando os dados trafegam entre a origem (transmissor) e o destino (receptor). Normalmente é medido em milissegundos (ms) e é um fator crucial na determinação da capacidade de resposta de uma rede.
  2. Casos de uso com requisitos rigorosos de latência:
    • As redes 5G são projetadas para suportar diversas aplicações com diferentes sensibilidades de latência. Alguns casos de uso com requisitos rigorosos de latência incluem:
      • Comunicação ultraconfiável de baixa latência (URLLC): aplicações críticas, como automação industrial, veículos autônomos e cirurgia remota, exigem latência ultrabaixa para garantir capacidade de resposta e confiabilidade em tempo real.
      • Banda larga móvel aprimorada (eMBB): aplicativos como realidade aumentada (AR), realidade virtual (VR) e streaming de vídeo de alta definição se beneficiam de latências mais baixas para oferecer uma experiência de usuário mais envolvente.< /li>
  3. Categorias de latência:
    • As redes 5G categorizam a latência em três tipos principais:
      • Tempo de ida e volta (RTT): o tempo total necessário para um pacote de dados viajar da origem ao destino e voltar.
      • Latência do plano do usuário: o tempo que um pacote de dados leva para viajar da origem ao destino.
      • Latência do plano de controle: o tempo necessário para que as mensagens de sinalização trafeguem entre os nós da rede para fins de controle e gerenciamento.
  4. Valores de latência alvo:
    • O 5G visa atingir valores de latência ultrabaixos, visando tempos de ida e volta tão baixos quanto 1 milissegundo em alguns cenários. A latência do plano do usuário pode ser tão baixa quanto alguns milissegundos, permitindo aplicativos que exigem capacidade de resposta quase instantânea.
  5. Divisão de rede para latência personalizada:
    • 5G introduz o conceito de fatiamento de rede, permitindo que as operadoras criem redes virtuais personalizadas, adaptadas a casos de uso específicos. Isso permite a alocação de recursos e otimizações para atender aos requisitos de latência de diferentes aplicativos.
  6. Computação de borda e MEC:
    • Multi-Access Edge Computing (MEC) é uma tecnologia chave em 5G que envolve colocar recursos de computação mais próximos da borda da rede. Isso reduz a distância que os dados precisam percorrer, minimizando a latência. A computação de borda é crucial para aplicações em tempo real, como IoT, jogos e AR/VR.
  7. Otimização da rede de transporte:
    • A rede de transporte, incluindo cabos e roteadores de fibra óptica, desempenha um papel vital na minimização da latência. As redes 5G otimizam a infraestrutura de transporte para garantir uma transmissão de dados eficiente e de baixa latência.
  8. Redes ultradensas (UDN):
    • Para reduzir a latência em ambientes urbanos lotados, as redes 5G implantam redes ultradensas com alta densidade de células pequenas. Isso garante que os usuários estejam próximos de uma célula, minimizando o tempo de viagem e a latência do sinal.
  9. Confiabilidade e redundância:
    • As redes 5G incorporam recursos de confiabilidade e mecanismos de redundância para garantir comunicação de baixa latência, mesmo na presença de falhas ou congestionamentos na rede. Caminhos redundantes e sistemas de backup contribuem para manter a disponibilidade do serviço.
  10. Padronização 3GPP:
    • O Projeto de Parceria de 3ª Geração (3GPP) estabelece padrões para redes 5G, incluindo requisitos de latência. A padronização garante que diferentes redes 5G em todo o mundo aderem a especificações consistentes, promovendo a interoperabilidade e uma abordagem unificada.

Em resumo, os requisitos de latência no 5G são cruciais para permitir uma ampla gama de aplicações que exigem capacidade de resposta em tempo real. O foco da tecnologia em comunicação ultraconfiável de baixa latência, fatiamento de rede, computação de ponta e otimização de rede de transporte contribui coletivamente para atingir as metas de baixa latência estabelecidas pelos padrões 5G.

Recent Updates