Home / 4G LTE / Como o CSFB funciona em LTE?

Como o CSFB funciona em LTE?

Circuit Switched Fallback (CSFB) em LTE: uma visão geral abrangente

Introdução:

Circuit Switched Fallback (CSFB) é um mecanismo empregado em redes LTE (Long-Term Evolution) para facilitar serviços de voz quando um dispositivo móvel está envolvido em serviços de dados LTE, mas precisa fazer ou receber uma chamada de voz comutada por circuito. Este processo envolve o retorno temporário às redes 2G ou 3G, onde são suportados serviços de voz comutados por circuitos. Nesta explicação detalhada, exploraremos como o CSFB funciona em LTE, abordando os principais conceitos e a sequência de eventos.

1. Evolução das Redes de Telecomunicações:

1.1 Redes comutadas por circuitos e comutadas por pacotes:

As redes de telecomunicações evoluíram com a mudança das tecnologias de comutação de circuitos para tecnologias de comutação de pacotes. O LTE opera principalmente com base em comutação de pacotes para serviços de dados, oferecendo maior velocidade e eficiência de dados.

1.2 Voz sobre LTE (VoLTE):

Embora o LTE suporte dados de alta velocidade, as versões iniciais do LTE não suportavam nativamente chamadas de voz comutadas por circuito. Os serviços de voz em redes LTE são frequentemente fornecidos usando Voice over LTE (VoLTE). No entanto, durante o período de transição ou em áreas com cobertura LTE limitada, o CSFB oferece uma solução para garantir a conectividade de voz.

2. Arquitetura CSFB:

2.1 LTE e redes legadas:

O CSFB preenche a lacuna entre LTE e redes legadas de comutação de circuitos (2G e 3G). Quando um dispositivo móvel com cobertura LTE precisa fazer ou receber uma chamada de voz, o CSFB recorre temporariamente a uma rede legada que suporta serviços de voz comutados por circuito.

2.2 Interação entre dispositivos móveis e rede:

O processo CSFB envolve a coordenação entre o dispositivo móvel, a rede LTE e a rede legada de comutação de circuitos. Esta coordenação garante uma transição perfeita entre serviços de dados LTE e serviços de voz comutados por circuito.

3. Principais componentes do CSFB:

3.1 CSFB de origem móvel (MO):

3.1.1 Chamada de voz realizada:

Quando um usuário inicia uma chamada de voz, a rede LTE aciona o CSFB. O dispositivo móvel recebe um comando CSFB, indicando a necessidade de recorrer a uma rede legada.

3.1.2 Transferência para rede legada:

O dispositivo móvel transfere a chamada de voz para uma rede legada (2G ou 3G), onde a chamada de voz comutada por circuito é estabelecida. A conexão LTE é temporariamente pausada durante a chamada de voz.

3.2 CSFB de terminação móvel (MT):

3.2.1 Chamada de voz recebida:

Quando chega uma chamada de voz, a rede LTE aciona o CSFB. O dispositivo móvel recebe um comando CSFB e transfere a chamada de voz para uma rede legada.

3.2.2 Retomada da conexão LTE:

Após a conclusão da chamada de voz, o dispositivo móvel retoma a conexão LTE para serviços de dados. A transição foi projetada para ser suave, minimizando qualquer impacto na experiência do usuário.

4. Sequência de eventos do CSFB:

4.1 Acionamento de CSFB:

O processo CSFB é acionado quando uma chamada de voz é iniciada ou recebida enquanto o dispositivo móvel está na cobertura LTE. A rede LTE identifica a necessidade de serviços de voz comutados por circuito.

4.2 Comando CSFB para dispositivo móvel:

A rede LTE envia um comando CSFB ao dispositivo móvel, instruindo-o a recorrer a uma rede legada para serviços de voz.

4.3 Transferência para rede legada:

O dispositivo móvel transfere a chamada de voz para uma rede legada e a chamada de voz comutada por circuito é estabelecida na rede legada.

4.4 Retomada da conexão LTE:

Após a conclusão da chamada de voz, o dispositivo móvel retoma a conexão LTE para serviços de dados de alta velocidade.

5. Considerações e otimizações:

5.1 Minimizando o tempo de configuração de chamadas:

Esforços são feitos para minimizar o tempo de configuração de chamadas durante o CSFB para garantir uma transição rápida entre LTE e redes legadas. Técnicas de otimização são empregadas para agilizar o processo.

5.2 Impacto na experiência do usuário:

O CSFB foi projetado para ter impacto mínimo na experiência do usuário. Os usuários podem notar uma breve interrupção durante a transferência, mas são feitos esforços para tornar essa transição o mais simples possível.

6. Desenvolvimentos Futuros:

6.1 Avanços nos serviços de voz:

À medida que as redes LTE continuam a evoluir, há uma tendência para aumentar a adoção de Voice over LTE (VoLTE) para serviços de voz nativos de alta qualidade sem a necessidade de CSFB. VoLTE oferece vantagens como melhor qualidade de voz e suporte simultâneo de voz e dados.

Integração 6.2 5G:

Com o advento das redes 5G, a integração dos serviços de voz na arquitetura 5G é um foco principal. As redes 5G visam suportar de forma eficiente serviços de dados e voz de alta velocidade.

Conclusão:

Concluindo, o Circuit Switched Fallback (CSFB) serve como um mecanismo de transição em redes LTE, garantindo a conectividade de voz ao retornar temporariamente às redes legadas de comutação de circuitos. O processo envolve a coordenação entre o dispositivo móvel, a rede LTE e as redes legadas para facilitar as chamadas de voz de maneira contínua. Embora o CSFB atenda à necessidade de serviços de voz durante o período de transição LTE, os avanços contínuos na tecnologia, como a integração VoLTE e 5G, continuam a moldar o cenário da comunicação de voz nas redes de telecomunicações modernas.

Recent Updates